PM acusada de matar líder de agricultores no Pará

O líder dos agricultores da Comunidade Raisan, área pertencente ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Santarém, no oeste do Pará, José Orlando de Souza, de 35 anos, foi morto na manhã do último sábado com um tiro nas costas que teria sido disparado por integrantes da Polícia Militar.A Comunidade Raisan fica na mesma área da Gleba Pacoval, onde, há 15 dias, fiscais do Grupo Móvel do Ministério do Trabalho de Brasília e agentes da Polícia Federal libertaram 87 trabalhadores encontrados em regime de semi-escravidão, além de apreenderem armas automáticas de fabricação argentina, tratores e motosserras utilizadas na extração ilegal de madeira.A morte de José Orlando, um homem respeitado e muito conhecido na região, revoltou os dirigentes de sindicatos de trabalhadores rurais e de direitos humanos do oeste paraense, que pediram o empenho do Ministério da Justiça para acabar com a grilagem de terras públicas, o roubo de madeira e o crime organizado na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.