Plebiscito informal sobre Vale tem voto de 80 deputados

Consulta promovida por entidades e movimentos sociais quer a anulação da privatização da empresa

DENISE MADUEÑO, Agencia Estado

05 de setembro de 2007 | 18h53

Uma urna para recolher votos no plebiscito informal promovido por entidades e movimentos sindicais que querem a anulação da privatização da Companhia Vale do Rio Doce foi instalada no local do cafezinho do plenário da Câmara. Em meia hora, votaram cerca de 80 deputados. Mesmo sem valor legal, o plebiscito tem apoio do PSOL e do PT, segundo decisão aprovada no final de semana no 3º Congresso do Partido dos Trabalhadores em São Paulo."Se o plebiscito popular tiver um resultado forte, vamos entrar com uma proposta de emenda constitucional para fazer o plebiscito formal", disse o deputado Ivan Valente (PSOL-SP). Para propor ao Congresso a realização do plebiscito formal, Valente espera que, pelo menos, 10 milhões de pessoas votem no plebiscito promovido pelas entidades.Na cédula, são feitas quatro perguntas ao eleitor de forma induzida e dirigida, ao contrário do que acontece em um plebiscito formal. "Em 1997, a Companhia Vale do Rio Doce, patrimônio construído pelo povo brasileiro, foi fraudulentamente privatizada, ação que o governo e o Poder Judiciário podem anular. A Vale deve continuar nas mãos do capital privado?", consta na primeira pergunta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.