Plataforma ainda corre o risco de afundar

Segundo a Petrobrás, a plataforma P-36 está estabilizada desde ontem com uma inclinação de 30º, mas ainda corre o risco de afundar. A empresa explica que o equipamento ainda tem de ser observado por um tempo mais prolongado para que se possa definir se a plataforma vai ou não afundar. Ainda há nove pessoas desaparecidas, vítimas do acidente. Equipes da Petrobrás estão em barcos acompanhando a plataforma e avaliando a possibilidade de uma abordagem, que só ocorrerá caso a plataforma esteja efetivamente estável.Funcionários fazem protesto e podem entrar em greveOs funcionários da Refinaria de Duque de Caxias atrasaram por duas horas a entrada dos operários hoje, como forma de protesto pelo acidente ocorrido na madrugada de ontem na plataforma P-36, a 120 quilômetros da costa de Macaé, no norte fluminense, que deixou um morto, um ferido e nove desaparecidos. Os funcionários da Petrobrás usaram tiras de pano preto presas ao crachá para manifestar o luto pelos colegas. Eles decidiram, em assembléia, que vão paralisar as operações, caso o sindicato nacional da categoria aprove a greve.Segundo a assessoria de empresa da estatal, o presidente da empresa, Henri Philippe Reichstul, concederá entrevista coletiva hoje, às 15 horas, na base operacional, em Macaé.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.