Plano para erradicar trabalho escravo prevê expropriação de terras

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou hoje à tarde, no Palácio do Planalto, o Plano para Erradicação do Trabalho Escravo. O plano do governo federal prevê a aprovação da emenda constitucional que permite a expropriação de terras em que forem encontrados trabalhadores em regime de escravidão. O governo propõe também incluir a prática da escravidão entre os crimes hediondos.O plano prevê seis áreas de atuação: Ações Gerais, Melhoria da Estrutura Administrativa do Grupo de Fiscalização Móvel, Melhoria da Estrutura Administrativa da Ação Policial, Melhoria da Estrutura Administrativa do Ministério, Polícia Federal e do Ministério Público do Trabalho, Ações para a Promoção da Cidadania e Combate à Impunidade e Ações para a Concientização, Capacitação e Senbilização da Sociedade.Desde o inícios do governo Lula, foram liberados 841 trabalhadores que viviam em regime de escravidão, e o governo pagou R$ 1.192.529,00 de indenização aos trabalhadores, segundo a Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Além disso.Participam da solenidade os ministros José Dirceu, da Casa Civil, Márcio Thomaz Bastos, da Justiça, Cristóvam Buarque, da Educação, Jaques Wagner, do Trabalho, Ciro Gomes, da Integração Nacional, Miguel Rosseto, do Desenvolvimento Agrário, Luiz Dulci, da Secretaria Geral da Presidência, Benedita da Silva, da Asssistência Social, e José Graziano, da Secretaria de Segurança Alimentar e Combate a Fome. Veja o índice de notícias sobre o Governo Lula-Os primeiros 100 dias e os ministérios

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.