Plano de reforma no Senado deve ficar pronto em 20 dias

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), se reuniu hoje com técnicos da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e da Casa para discutir a reforma administrativa do Senado, após a série de denúncias de irregularidades que instaurou uma crise na instituição. Segundo a assessoria da Casa, a FGV já havia apresentado um estudo preliminar que foi colocado em consulta pública e que resultou no encaminhamento de quase 500 sugestões. Essas propostas foram reunidas em 1.300 páginas por uma comissão interna. O texto foi apresentado hoje ao peemedebista. Um projeto definitivo da FGV deverá ficar pronto em 20 dias.

ROSANA DE CASSIA, Agencia Estado

08 de julho de 2009 | 12h35

Um dos motivos para a crise no Senado foi a revelação pela imprensa de atos secretos que beneficiaram parentes de parlamentares. Sarney foi um dos senadores citados nas denúncias. Além disso, a pressão para ele deixar a presidência da instituição se agravou depois que o jornal O Estado de S. Paulo revelou que seu neto, José Adriano Cordeiro Sarney, é alvo de investigação da Polícia Federal (PF) por ser um dos operadores de um esquema de crédito consignado no Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.