Plano de racionamento sai até sexta-feira

Até sexta-feira os integrantes da Câmara de Gestão da Crise de Energia starão "juntando observações e estudos para extrair o Plano de Racionamento de Energia", que entrará em vigor a partir de 1º de junho, disse o coordenador da Câmara, ministro Pedro Parente. "Nós precisamos desse Plano até sexta-feira", enfatizou Parente, deixando claro que não haverá adiamento do anúncio das medidas. O coordenador evitou detalhar qualquer medida a ser anunciada na próxima sexta-feira. "Não temos, neste momento, condições de detalhar nenhuma medida, porque ainda não concluímos o Plano", disse. Informou apenas que a proposta de multa, com crescimento gradativo, para consumidores que ultrapassarem determinada cota de consumo de energia está descartada. "A única coisa que está descartada é esta - a multa na forma como foi pensada anteriormente", afirmou.Ele acrescentou que a proposta de concessão de um bônus para os consumidores que economizarem energia está previsto no leque de medidas de racionamento "e poderá" ser instituído. O coordenador disse as medidas que serão tomadas para aumentar a oferta de energia ainda não há data marcada. Segundo Parente, as distribuidoras terão o papel adicional de informar aos seus consumidores as medidas do governo.De acordo com Parente, a redução de carga global será de 20%, mas as empresas públicas terão que economizar 10% a mais do que foi estabelecido para os setores às quais elas pertencem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.