Planejamento e grevistas do Itamaraty se reúnem dia 28

Depois de três dias de greve dos funcionários do Itamaraty, o Ministério do Planejamento marcou para o dia 28 a primeira reunião de negociação com a categoria. Na quinta-feira a conta dos postos consulares fechados por conta do movimento chegou a 91.

LISANDRA PARAGUASSU, Agência Estado

21 de junho de 2012 | 20h00

Apesar de ter uma assembleia marcada para a tarde desta sexta-feira, os servidores não devem modificar o estado de greve, decretado por tempo indeterminado. A intenção é apenas avaliar o alcance do movimento e a pauta de reivindicações a ser levada ao Planejamento na próxima semana.

De acordo com o SindItamaraty, o sindicato da categoria, o secretário geral do ministério, embaixador Rui Nogueira, comprometeu-se a defender a principal reivindicação dos oficiais de chancelaria e assistentes de chancelaria, que é a transformação dos salários de vencimentos em subsídios. A diferença principal entre os dois tipos de pagamento é o fato de que o subsídio incorpora em um salário base todas as antigas gratificações, o que evita o risco de perdas ao longo da carreira e na aposentadoria.

Os servidores também pretendem equiparação salarial com categorias equivalentes do serviço público. Os reajustes significariam um aumento de quase 50% para os assistentes, que hoje tem um salário inicial de R$ 2,9 mil. Já para os oficiais, o subsídio praticamente dobraria, chegando a R$ 12,9 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
GreveItamaraty

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.