Planalto vive clima de incerteza à espera da fala de Temer

Tese de renúncia começa a ganhar força

Carla Araujo e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2017 | 15h13

Brasília - O esperado pronunciamento do presidente Michel Temer, que segundo aliados poderia acontecer às 16h, ainda está incerto, devido à “nova bomba” da abertura do inquérito contra Temer e, neste momento, o clima no Planalto é de agitação e expectativa. Muitos jornalistas começam a chegar para acompanhar a possível declaração do presidente.

A tese da renúncia começa a ganhar corpo nos corredores do Planalto. Apesar de os ministros mais próximos ao presidente ainda negarem a hipótese e afirmarem que “é preciso aguardar”, outros auxiliares do governo dizem que nos bastidores já há quem no núcleo duro do governo “não veja saída” se não a renúncia. Segundo uma fonte do Planalto, após a noticia da abertura de inquérito, um dos ministros confidenciou “é a melhor opção” em relação à renúncia. Entre os interlocutores, há quem defenda, entretanto, que uma “saída mais honrosa” seria a cassação da chapa Dilma/Temer no processo do TSE.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasíliaMichel TemerTSE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.