Planalto terá de rever posição sobre reserva indígena

O governo terá que rediscutir internamente sua posição sobre a demarcação da reserva Raposa Serra do Sol, em Roraima. Uma decisão tomada na noite desta quinta-feira, no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1.ª Região, pela desembargadora Selene Maria de Almeida, do TRF, excluiu da área de demarcação da reserva Raposa Serra do Sol todas as vilas, cidades e zonas de expansão existentes na região.A intenção do Palácio do Planalto e do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, era que a homologação da área fosse feita de forma contínua, acabando inclusive com a cidade de Uiramutã, que fica dentro da reserva, habitada hoje principalmente pelos índios macuxi e wapixana.Antes da decisão de Selene, o juiz Helder Girão Barreto, da 1.ª Vara da Justiça Federal de Roraima, já tinha anulado parte dademarcação da reserva indígena. Segundo o magistrado, a demarcação deveria respeitar vilas, cidades e zonas de expansão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.