Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Planalto exonera assessor de Temer preso pela PF

Filippelli é o terceiro assessor do governo a ser derrubado; antes dele, José Yunes e Rodrigo Rocha Loures foram afetados por denúncias

Tânia Monteiro e Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2017 | 11h44

BRASÍLIA - O Palácio do Planalto encaminhou para o Diário Oficial da União a portaria de exoneração do assessor especial do gabinete pessoal do presidente da República, Tadeu Filippelli (PMDB), que deve ser publicada na edição desta quarta-feira, 24. Filippelli foi preso na manhã desta terça-feira na Operação Panatenaico, que investiga organização criminosa que fraudou e desviou recursos das obras de reforma do Estádio Nacional Mané Garrincha para a Copa do Mundo de Futebol de 2014.

Desde cedo, auxiliares da Casa Civil estavam na expectativa do que seria feito com o auxiliar direto do presidente. Quando Temer chegou ao Planalto, optou pela exoneração.

A prisão de um novo ocupante do terceiro andar no Palácio do Planalto, com gabinete a poucos metros do presidente Temer, é mais uma grande preocupação para o governo. A operação da Polícia Federal atinge o coração do Planalto e também o presidente, avaliam assessores.

Filippelli é o terceiro assessor de Temer a ser derrubado. Antes dele, José Yunes e Rodrigo Rocha Loures acabaram afetados por denúncias. Filippelli que, assim como Temer, é do PMDB, atuava nos bastidores e fazia ponte com empresários e parlamentares, já que foi deputado também.

Também ex-vice-governador do Distrito Federal, Tadeu Filippelli era próximo de Temer e o acompanhava no Palácio do Planalto desde a vice-presidência. Assim como o deputado Rocha Loures, José Yunes, Gastão Toledo e o ex-deputado Sandro Mabel, todos tinham gabinete no terceiro andar do Planalto.

No Planalto, assessores do presidente tentam explicar que o motivo da prisão de Filippelli tem a ver com atos ocorridos antes dele ter chegado ao Planalto, quando era do Governo do Distrito Federal. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.