Planalto emite nota de pesar pela morte de João Ribeiro

O Palácio do Planalto divulgou na tarde desta quarta-feira, 18, nota de pesar da presidenta Dilma Rousseff pelo falecimento do senador João Ribeiro (PR-TO). Ele morreu na manhã desta quarta, aos 59 anos, no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, onde estava internado desde 16 de novembro para o tratamento de um tipo raro de leucemia. Ele teve complicações pulmonares após um transplante de medula óssea, realizado em janeiro.

AYR ALISKI E DÉBORA ÁLVARES, Agência Estado

18 Dezembro 2013 | 16h17

"Foi com tristeza que tomei conhecimento da morte do senador João Ribeiro, ilustre representante do estado do Tocantins. Líder do Partido da República no Senado, Ribeiro foi um companheiro leal da base aliada do governo. Foi sempre uma voz de contribuição positiva na relação entre o Legislativo e Executivo", cita a nota de Dilma.

O material da presidente menciona, ainda, que o senador era "de família humilde, foi engraxate, vendedor de picolé e trabalhou na roça. Foi prefeito de Araguaína, deputado estadual e, como deputado federal, peça importante na criação do estado do Tocantins". "Aos amigos e familiares, solidarizo-me neste momento de dor", conclui a presidente.

Desde o fim do mês passado, quando foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital, o senador respirava com ajuda de aparelhos. Os boletins médicos, contudo, afirmavam que o estado de saúde dele era estável. Ele estava em seu segundo mandato consecutivo no Senado Federal. Cumpriria o mandato até janeiro de 2019.

Mais conteúdo sobre:
morte senador João Ribeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.