Planalto deve anunciar nova situação de Mangabeira nesta 5ª

Após rejeição de MP que criava secretaria, governo quer uma forma de manter o professor como ministro

Adriana Chiarini, do Estadão

27 de setembro de 2007 | 14h06

O Palácio do Planalto deve anunciar ainda nesta quinta-feira, 27, uma forma de manter Roberto Mangabeira Unger como ministro com a função de pensar o planejamento de longo prazo do País. A informação foi dada pelo presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Márcio Pochmann, em entrevista, após participar do Fórum Nacional - evento promovido pelo ex-ministro do Planejamento, João Paulo dos Reis Velloso.    Pochmann também informou que o Ipea continuará ligado à Mangabeira Unger. Ele esclareceu que a situação do Instituto não sofre qualquer alteração com a derrubada da Medida Provisória na última quarta-feira, que criava a Secretaria de Ações de Longo Prazo, chefiada por Mangabeira Unger.  Segundo o economista, ele próprio e os demais profissionais com cargo de assessoramento superior no Ipea nomeados durante o período da Secretaria foram decididos por Unger, porém, com a responsabilidade da Casa Civil no Diário Oficial.  Na apresentação ao Fórum, Pochmann fez uma contextualização histórica da evolução das condições de trabalho e vida desde a década de 1930 e anunciou a perspectiva futura de uma sociedade com jornada de trabalho de quatro horas por dia e de apenas três dias na semana.  O economista não chegou a prever quando isso irá acontecer, argumentando que dependerá da democracia e da luta política. "Mas hoje já existem as condições materiais para essa jornada", afirmou. A nova sociedade terá expectativa de vida superior a 100 anos e tende a residências com uma só pessoa ou de um adulto com uma criança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.