Planalto condena assassinato de líder camponês em RO

A Presidência da República condenou hoje, por meio de nota, o assassinato de mais um líder de movimentos sociais no Norte do País e determinou que a Polícia Federal acompanhe as investigações para que seja assegurada a punição exemplar dos criminosos. Desta vez, a vítima foi o líder camponês Adelino Ramos, do município de Vista Alegre do Abunã, em Rondônia. Há três dias, foram assassinados dois ambientalistas em circunstâncias semelhantes, no Pará.

VANNILDO MENDES, Agência Estado

27 de maio de 2011 | 19h42

Nos dois casos de assassinatos, as vítimas vinham sofrendo ameaças de madeireiros e proprietários rurais de suas regiões. "O governo brasileiro não tolera que crimes como esses aconteçam e fiquem impunes no nosso País", diz a nota, que é assinada pelos ministros da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário Nunes, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

Segundo a nota, a presidente Dilma Rousseff já determinou que a Polícia Federal acompanhe as investigações no Pará e fará o mesmo no caso de Rondônia, "numa atitude enérgica e clara" para que crimes como esses não se tornem prática rotineira no País. "Acompanharemos de perto os desdobramentos para garantir justiça", afirma. "É isso que se espera de um Estado democrático de direito e é assim que o governo procederá", acrescenta o texto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.