PL vai apresentar emendas à reforma no plenário

O ministro da Casa Civil, José Dirceu, deverá participar da reunião da base aliada hoje à tarde para discutir a estratégia de votação da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara e no plenário. Os líderes deverão confirmar a estratégia de nada alterar no texto durante a votação na comissão especial. O PL, no entanto, já adiantou que vai apresentar emendas no plenário para aumentar de 75% para 90,25% do salário do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) o subteto estadual dos magistrados. "No plenário vamos ressaltar nossas diferenças", antecipou o vice-líder do PL, Bispo Rodrigues (RJ), hoje de manhã. A liderança do governo está defendendo a proposta de votar ainda esta semana e a pauta da reunião deverá prever ainda a avaliação da bancada dos partidos na comissão especial. Os líderes vão pesar, por exemplo a representação de alguns partidos como o PTB, que tem Arnaldo Faria de Sá (SP), Antônio Fleury (SP) e Jair Bolsonaro (RJ), contrários à proposta do governo de cobrar a contribuição de 11% dos atuais servidores públicos aposentados. Deverá ser avaliada também o posicionamento do PC do B e particularmente da deputada Jandira Feghali (RJ), francamente contrária à proposta governista para a reforma da Previdência. Como ocorreu durante a votação da proposta na Comissão de Constituição e Justiça, mudanças de última hora deverão acontecer para assegurar a maioria necessária à aprovação do relatório do deputado José Pimentel (PT-CE), sem alterações, como defendeu hoje de manhã o ministro José Dirceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.