Pivô do escândalo, Jefferson vira réu por corrupção e lavagem

O Supremo Tribunal Federal acatounesta segunda-feira, por unanimidade, denúncia contra oex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), pivô do escândalo domensalão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Outrosintegrantes do PTB também sofrerão ação penal. Jefferson fez a revelação do mensalão em junho de 2005. Adenúncia sobre o esquema, envolvendo 40 pessoas, vem sendojulgada pelo STF desde a semana passada. Além de Jefferson, os petebistas Emerson Palmieri, naocasião tesoureiro do partido, e o ex-deputado Romeu Queirozserão réus pelos crimes de corrupção passiva e lavagem dedinheiro. O advogado de Jefferson afirmou que vai esperar apublicação do acórdão para, provavelmente, entrar com um"embargo declaratório", porque não viu na sustentação dorelator, ministro Joaquim Barbosa, a caracterização do crime decorrupção passiva. "Meu cliente não era servidor público nem produziu ato deofício que desse base à acusação como exige a jurisprudência doSupremo, estabelecida no caso do (ex-presidente) FernandoCollor de Mello", declarou a jornalistas Luiz FranciscoBarbosa. O tribunal também acatou, no último bloco partidário docaso, por unanimidade, a denúncia contra o ex-deputado JoséBorba (PMDB-PR) por corrupção passiva. Também virou réu nesta fase do julgamento o ex-ministro dosTransportes Anderson Adauto (então do PL-MG), que responderápor corrupção ativa (pena de 2 a 12 anos). O STF já julgou nesta segunda-feira, acatando denúnciasfeitas pelo procurador-geral da República, Antonio FernandoSouza, integrantes do PP e do PL (atual PR).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.