Pitta é preso por desacato à CPI do Banestado

O ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta, foi preso na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Banestado, por desacato ao presidente da Comissão, Antero Paes de Barros (PSDB-MT). O ex-prefeito foi preso pelos seguranças do Senado e será colocado à disposição da Polícia Federal. O presidente da CPI se sentiu desacatado pelo fato de Pitta se recusar sucessivas vezes a responder as perguntas da CPI. "O que o senhor responderia se fosse perguntado se é corrupto?", indagou o senador. Ríspido, Pitta respondeu com outra pergunta: "E se eu perguntasse se Vossa Excelência continua batendo na sua mulher, o senhor responderia?". "Eu exijo respeito", reagiu Paes de Barros. "Não bato na mulher, nem sou ladrão dos cofres públicos", acrescentou Paes de Barros, que interrompeu a sessão e mandou a segurança do Senado prender o ex-prefeito. Pitta estava se negando a responder as perguntas formuladas pelos integrantes da CPI, alegando o direito constitucional do silêncio, para não produzir provas contra si. A Comissão conseguiu do ministro do Supremo Tribunal Federal, Cesar Beluso, a revisão de liminar que ele havia concedido na semana passada, com a qual Pitta deveria depor somente em sessão fechada e estava desobrigado a falar a verdade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.