Luiz Carlos|Hoje em Dia
Luiz Carlos|Hoje em Dia

Pimentel é alvo de nova denúncia da Acrônimo

Governador de Minas é acusado de corrupção

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

11 de novembro de 2016 | 15h02

Brasília - A Procuradoria-Geral da República apresentou uma segunda denúncia contra o governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), no âmbito da Operação Acrônimo. O empresário Marcel Odebrecht também foi denunciado.

A denúncia relaciona ainda outras quatro pessoas, entre eles o empresário Benedito Oliveira, o Bené, que afirmou em sua delação premiada que a Odebrecht pagou propina a Pimentel.

Segundo Bené, Pimentel queria o repasse de R$ 20 milhões e R$ 25 milhões, mas a direção da Odebrecht só teria autorizado o pagamento de R$ 12 milhões.

A acusação contra o grupo é pela prática dos crimes de corrupção ativa e corrupção passiva.

Pimentel já é alvo de uma denúncia na Acrônimo, que está sob a análise da Assembleia Legislativa de Minas. No mês passado, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que o legislativo estadual teria de autorizar a abertura de uma ação penal contra o governador.

Em nota, o advogado de Pimentel, Eugênio Pacelli, disse que essa denúncia é ainda “mais frágil” que a anterior, por ter como base “exclusivamente” o depoimento de um colaborador, no caso Bené, “não se apoiando em nenhum meio de prova admitido pela Justiça”.

A assessoria de imprensa da Odebrecht disse que nem a empresa nem a defesa do empresário iriam comentar o caso.

Acusação. Na primeira denúncia, o governador é acusado de receber R$ 2 milhões da empresa Caoa, do setor automotivo, que, em troca, teria sido beneficiada com decisão do ministério para ajudar na importação de veículos. A Assembleia Legislativa de Minas Gerais ficou encarregada de decidir se a ação penal será aberta no STJ por decisão da própria Corte, em 5 de outubro. O parecer do deputado Rogério Correia (PT), que será votado hoje na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), é pela não autorização da abertura da ação. A votação em Plenário deverá ocorrer na quarta-feira, 16.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.