Pimentel condiciona candidatura em Minas a aval de Lula

Atual prefeito de Minas diz que é natural seu nome ser lembrado como pré-candidato ao governo em 2010

Eduardo Kattah, de O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2008 | 16h29

O prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), disse neste domingo, 6, que é natural seu nome ser lembrado como pré-candidato ao governo de Minas em 2010, mas condicionou uma eventual candidatura a um aval do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Como sou prefeito, meu nome é lembrado, mas não quer dizer que seja naturalmente, automaticamente candidato a nada. Isso depende muito do PT nacional, depende muito da orientação do presidente Lula", disse  Pimentel, ao inaugurar obras do Programa Centro Vivo, na capital mineira.  A aliança com o governador Aécio Neves (PSDB) na eleição municipal causou racha no PT mineiro e deflagrou a disputa entre o prefeito e o ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, pela indicação do candidato petista ao Palácio da Liberdade. Patrus já admitiu sair candidato. Pimentel afirmou que não se sente "discriminado ou desconfortável" no PT. Disse que poderá apoiar o ministro caso ele seja o candidato escolhido e que não pretende deixar o partido. "Tenho recebido manifestações muito fortes de grande apoio e de solidariedade, tanto aqui como fora", afirmou. "É o único partido em que estive na vida pública e pretendo continuar nele".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.