Piloto vai depor na CPI do Roubo de Cargas

O piloto de Fórmula Truck Gilberto Luiz Hidalgo Gimenez, acusado de comandar uma das maiores quadrilhas de roubo de cargas e caminhões no Estado de São Paulo, decidiu depor na CPI do Roubo de Cargas, em Brasília, mesmo depois de ter sido libertado da prisão em Santos (SP), no final do mês passado, por um habeas-corpus.O secretário da CPI, Francisco Naurides, informou que os advogados de Gimenez comunicaram oficialmente a decisão de seu cliente, no final da semana passada, e pediram para que a data de seu depoimento fosse marcada "o mais breve possível". "Tentaremos agendar para os próximos dias", afirmou Naurides. Gimenez já havia sido convocado para depor na CPI, em abril, mas não compareceu.Gimenez foi preso em março, em Guarujá, quando a polícia descobriu em um galpão de 5 mil m2, propriedade dele, 40 caminhões com documentação irregular, um deles roubado dias antes na região do ABC paulista com um carregamento de 60 toneladas de soja. Sete caminhões já estavam com os números dos chassis remarcados e com pinturas novas. No galpão foram encontrados ainda documentos frios, placas frias de caminhões e equipamento necessário para adulterar os veículos.Gimenez e um funcionário do galpão, Claudenoy dos Santos, foram presos em flagrante e libertados um mês depois, por um habeas-corpus concedido pela juíza Silvana Rolo Pereira Borges. A juíza acatou argumento do Ministério Público Estadual de que ambos são réus primários, trabalham em atividades lícitas e têm endereço fixo. Gimenez admite que o galpão é de sua propriedade, mas argumenta que o imóvel estava alugado e que ele não tem ligação nenhuma com os caminhões roubados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.