Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

'PGR e STF terão a chance de comprovar que declarações de Delcídio são descabidas', diz Aécio

Tucano é citado pelo petista sobre abertura de conta bancária no exterior para uma fundação coordenada por sua mãe, sobre envolvimento em lista de propinas relacionadas a Furnas e por impedir a quebra de sigilo do Banco Rural na CPI dos Correios

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

23 de março de 2016 | 20h22

BRASÍLIA - O senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou que será bem vinda a análise por parte do Supremo Tribunal Federal (STF) da delação do senador Delcídio Amaral (sem partido-MS), que faz citações ao seu nome. "O procurador-geral da República e o STF terão a chance de comprovar que as declarações de Delcídio em relação ao meu nome são descabidas e desprovidas de indícios mínimos que possam dar a elas qualquer sentido de veracidade", afirmou Aécio.

De acordo com o presidente do PSDB, Delcídio teria repetido notícias requentadas e que já foram avaliadas anteriormente pela Justiça. "Boa parte das falsas denúncias já foi objeto de averiguação judicial e arquivada por sua total inconsistência", alegou o tucano.

Na manhã desta quarta-feira, 23, a Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao STF que os fatos citados por Delcídio em delação premiada fossem analisados. Além de Aécio, o senador também cita Dilma, Lula, Michel Temer e Aloizio Mercadante. A análise deveria ser dividida em 20 procedimentos, conforme instrução da PGR.

Aécio é citado por Delcídio em três situações, sobre a abertura de uma conta bancária no exterior para uma fundação coordenada por sua mãe, sobre envolvimento na lista de propinas relacionadas a Furnas e também por impedir a quebra de sigilo do Banco Rural na CPI dos Correios. Aécio nega todas as alegações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.