Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

PFL usa bolos para ilustrar crítica ao governo

Dois bolos de pão de ló recheados com bombons foram usados hoje pelo PFL para criticar a atuação do atual governo. Simulando duas partes de uma mesma circunferência, os dois bolos representavam um terço e dois terços do mandato ? amanhã é o último dia da primeira terça parte do mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Um terço já se perdeu e ninguém sabe quem comeu esta parte do bolo", disse o senador José Jorge (PFL-PB), que promoveu a pequena solenidade na presença de senadores e deputados oposicionistas, no cafezinho do plenário. O bolo maior, em forma de dois terços da circunferência, trazia a frase que segundo o senador pefelista fora pronunciada pela atriz Fernanda Montenegro ao avaliar o governo Lula: "Precisa começar".?Crescimento do espetáculo?"Em lugar do espetáculo do crescimento, prometido pelo presidente, o governo promove na verdade o crescimento do espetáculo", ironizou Jorge ao apresentar uma lista de 13 críticas ao desempenho do governo como o aumento do desemprego, da concentração de renda, compra do avião presidencial ou que foi qualificado como "espetáculo do empreguismo", atribuindo a contratação de "mais de 20 mil militantes" na máquina do governo. A lista inclui ainda a crítica ao caso Waldomiro Diniz e a acusação de que o governo teria tentado "abafar a CPI"."Foi uma maneira de mostrar que o governo consumiu um terço do seu mandato com blá-blá-blá e promessas", concluiu o senador pefelista. "São 487 dias de pesadelo e mesmo assim temos mais 987 dias para suportar", disse o presidente do partido, Jorge Bornhausen (SC). "Sem dúvida em 2006 poremos fim aos fracassos e escândalos do governo Lula", afirmou Bornhausen.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.