PFL só definirá rumo após decisão sobre coligações

O líder do PFL no Senado, José Agripino (RN), afirmou hoje que depois da desistência de Roseana Sarney de disputar a Presidência da República, os próximos passos do partido só serão dados após a reunião da Executiva Nacional, que só deverá ocorrer após o Supremo Tribunal Federal decidir sobre a questão da verticalização das coligações eleitorais. "Antes da decisão do STF não decidiremos nada", afirmou.Agripino, que é vice-presidente do PFL, assegurou que não haverá mudanças no procedimento da bancada em relação às decisões já tomadas pela Executiva. O partido estará presente nas votações da medida provisória do setor elétrico no Senado. O senador Geraldo Althoff (PFL-SC) já foi confirmado como relator da MP.Agripino afirmou ainda que o partido continuará assegurando quórum nas votações na Câmara. Ele informou que o PFL não está tomando a iniciativa de manter conversações para uma aliança com o pré-candidato do PPS Ciro Gomes. "O partido está sendo procurado e não se nega a conversar", afirmou o senador, acrescentando que o mesmo acontece com o PSDB.Segundo ele, o desafio do partido será assegurar a unidade após a decisão do Supremo. Na avaliação de Agripino, caso o STF resolva suspender a obrigatoriedade da vinculação das coligações estaduais com as da candidatura à Presidência, a tendência que deverá fortalecer dentro do PFL é a de não lançar candidato à sucessão presidencial. "Vamos buscar balizar um caminho que mantenha a unidade do partido", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.