PFL se decide contra CPI da Corrupção

Em carta que enviará a todos os deputados federais e senadores do PFL, a Executiva Nacional do partido recomenda que não aponham suas assinaturas no requerimento de criação da CPI da Corrupção. Além de pedir que ninguém mais assine o requerimento, o PFL recomenda àqueles que já o assinaram que retirem suas assinaturas, "sem que esta retirada signifique qualquer desistência das lutas que empreendem - e continuarão levando avante - pela valorização da vida pública e pelo combate à corrupção e à malversação dos recursos públicos".Segundo o texto da carta, aprovado em reunião realizada esta manhã pela Executiva, o requerimento em favor da CPI, "com o correr do tempo, tem levado seus coordenadores a tornarem mais explícitos seus objetivos eleitorais, na certeza de que a referida CPI, se constituída, haverá de se estabelecer como palanque privilegiado para a antecipação e, mais do que isso, para definição de contestações políticas nas eleições de 2002, visando minar as bases dos partidos que compartilham o governo". A carta, de duas páginas, faz um resumo dos compromissos do PFL desde 1985, quando foi criado. Em um dos trechos, ressalta o trabalho do governo federal em adotar providências diante de denúncias de corrupção. "O presidente da República afastou servidores, modificou estruturas da administração, eliminou órgãos públicos, instaurou inquéritos, apoiou providências policiais e deu respostas concretas às solicitações e providências advindas do Ministério Público e do Poder Judiciário", afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.