PFL sai do plenário durante discurso de Tebet

Num discurso inflamado e emocionado, o novo presidente do Senado, Ramez Tebet (PMDB-MS), tomou posse defendendo o diálogo e entendimento. "O Senado não tem o direito de viver uma disputa de egos", afirmou o senador, referindo-se a atual situação que considera difícil. "É mais que na hora de trocar a intolerância pela harmonia", afirmou. O discurso de Tebet não foi, entretanto, acompanhado pela bancada do PFL, que decidiu se retirar do plenário enquanto ele falava.Tebet disse que a instituição do Senado está acima de qualquer partido político e que sua missão será conciliar os diversos interesses. "Haverei de honrar o Senado trabalhando incansavelmente para fazer do Senado uma casa de reflexão".O plano de Ramez Tebet anunciado em seu discurso é fazer com que o Senado volte a ser uma casa de grandes debates políticos e de discussão de temas sociais. Disse que assume o cargo convencido de suas responsabilidades. Fez até mesmo uma crítica: "O governo ainda não se mostrou eficaz na diminuição das desigualdades sociais".O novo presidente do Senado ponderou que em que pese o amadurecimento político, o Brasil ainda vive uma guerra social. "O povo brasileiro espera de nós o fim da desigualdade social", afirmou ele, lembrando que "o Brasil não pode viver com as desigualdades sociais".Ele defendeu maior rapidez na votação das reformas política e tributária. No caso da tributária, disse que o texto ainda não saiu do papel. Chamou a atenção para a situação de instabilidade internacional, lembrando que a guerra que se anuncia terá reflexos na economia brasileira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.