PFL redefine hoje relações com ACM

O presidente do PFL, Jorge Bornhausen, disse esta manhã, ao chegar para a reunião da Executiva do partido, que o importante neste momento é pensar primeiro na unidade, no futuro e na história da agremiação. O encontro de hoje da Executiva é para tomar uma posição sobre as relações do partido com o governo e com o senador Antônio Carlos Magalhães, que rompeu como presidente Fernando Henrique Cardoso.O líder do partido na Câmara, Inocêncio Oliveira, disse acreditar que o documento que sairá hoje da reunião da Executiva vai manter o apoio do partido ao governo, porém respeitando as divergências internas nesse sentido. "Creio que vai ser um grande entendimento, porque um partido que ajudou a eleger duas vezes o presidente Fernando Henrique Cardoso, a escrever o seu programa de governo e ajudou a fazer as reformas constitucionais para adaptar o Brasil a esse novo tempo, não pode deixar de fazer parte da base de sustentação", afirmou o líder.Inocêncio observou que é preciso, no entanto, respeitar democraticamente as posições de alguns que divergem dessa orientação. "Por isso, o PFL vai subscrever um documento que define suas responsabilidades para com o governo e também defende a posição de alguns que não consideram isso fundamental", afirmou. O vice-presidente Marco Maciel também já chegou para a reunião da Executiva, no auditório do Anexo 4 da Câmara dos Deputados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.