PFL quer uma das três lideranças de governo

O presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), disse hoje que vai insistir junto ao presidente Fernando Henrique Cardoso para que uma das lideranças do governo no Congresso seja atribuída ao PFL. Os três cargos - lideranças do governo na Câmara, no Senado e no Congresso - estão atualmente nas mãos do PSDB, com os deputados Arnaldo Madeira, de São Paulo (líder na Câmara) e Arthur Virgílio, do Amazonas (líder no Congresso) e José Roberto Arruda no Senado, do Distrito Federal (líder no Senado).Bornhausen conversou sobre esse assunto com o presidente, quando o PFL foi excluído do comando do Legislativo com a derrota nas presidências da Câmara e do Senado. "Fica difícil para o líder do partido seguir as decisões tomadas pelo governo, quando ele não participa das reuniões", argumentou Bornhausen. Ele ressaltou que, com o controle dos cargos de liderança do governo no Congresso, só os tucanos participam da reunião semanal de coordenação política, realizada no Planalto às segundas-feiras para acertar a agenda política da semana.Nesses encontros, ainda segundo Bornhausen, tem assento principal o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Aloysio Nunes Ferreira, que também é do PSDB. "O presidente ficou sensível a essa proposta", relatou Bornhausen, ao informar que mostrou a Fernando Henrique que a escolha de representantes dos partidos da base aliada facilitará a ação do governo no Congresso.A ausência do PFL em posições de destaque nas articulações políticas poderia trazer complicações futuras, ponderou o Bornhausen ao presidente. Já se Fernando Henrique acolher a sugestão, vai melhorar a tramitação de projetos de interesse do executivo, nos últimos dois anos de governo, acomodando-se, simultaneamente, a base política.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.