PFL prepara "estrutura de apoio" para Roseana

O secretário-executivo do PFL, Saulo Queiroz, definirá amanhã em São Luís, com a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, as primeiras iniciativas do que poderá se transformar na estrutura da sua campanha presidencial. Segundo Queiroz, porém, não se trata ainda de operacionalizar uma eventual candidatura à Presidência da República, e sim de "construir uma estrutura de apoio ao ator político em maior evidência hoje no partido". Além de abrir escritórios em Brasília e São Luís, o PFL criará em sua página na Internet um espaço exclusivo para divulgar a imagem e a administração Roseana Sarney no Maranhão.O desempenho ascendente da filha do ex-presidente José Sarney nas pesquisas eleitorais produziu no PFL um otimismo que se alastra velozmente, conforme Queiroz. A idéia de criar uma estrutura profissionalizada de apoio tornou-se imperativa, explica ele, porque Roseana deseja evitar a mistura de suas funções como governadora com a de militante pefelista. O secretário-executivo do PFL disse que é óbvio, para o partido, que Roseana se tornou "um fato eleitoral", e que o prestígio dela em todo o País exige instrumentos ágeis para responder a mensagens por carta ou e-mails e para compatibilizar o atendimento a convites para conferências e atos públicos em todo o Brasil com a agenda oficial da governadora.PesquisasEmbora evitem mencionar números, os dirigentes do PFL afirmam que duas pesquisas eleitorais a serem divulgadas nesta terça-feira (as pesquisas CNI/Ibope e CNT/Sensus) confirmarão que a intenção de voto na governadora cresce em todas as regiões, e que a praticamente a um ano da eleição de 2002 ela aparece em segundo lugar na corrida presidencial. Nas simulações do levantamento CNI/Ibope, com efeito, Roseana supera Ciro Gomes, do PPS, que desde a posse do presidente Fernando Henrique Cardoso no segundo mandato mantinha a posição de vice-favorito, atrás apenas de Luiz Inácio Lula da Silva, do PT. A pesquisa revela, também, que parcela expressiva do eleitorado identifica Roseana com o governo Fernando Henrique e considera que ela poderia dar continuidade ao seu programa.O consultor político da CNI, Ney Figueiredo, diz que Roseana Sarney apresenta nessa pesquisa "um desempenho bem além do esperado" e refuta a interpretação segundo a qual essa performance deve-se à superexposição da governadora na propaganda política do PFL na televisão: "As razões são mais profundas: ela tem carisma", diz ele. A sondagem encomendada pela Confederação Nacional da Indústria ao Ibope deve mostrar, ainda, um dado surpreendente: 27% dos pesquisados dizem que votarão com certeza, ou poderão votar, em um candidato apoiado pelo presidente Fernando Henrique. Isso significa ser alta a probabilidade de um candidato governista passar para o segundo turno da disputa presidencial, em outubro do próximo ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.