PFL não quer votar aumento de energia hoje

O líder do PFL na Câmara, Inocêncio Oliveira (PE), disse que não acredita que seja possível votar, na sessão de hoje, a medida provisória que aumenta as tarifas de energia elétrica para compensar os prejuízos das empresas concessionárias com o racionamento. Inocêncio reuniu-se com os vice-líderes do partido para discutir a medida, mas adiantou que sua bancada não deverá votar a favor da proposta na sessão de hoje, porque o texto não está devidamente esclarecido. "Eu ainda não consegui entender nem as siglas que estão na MP, que são tantas", disse ele. O relatório do deputado José Carlos Aleluia (PFL-BA) sobre a MP não está sendo bem recebido. O deputado Paulo Magalhães (PFL-BA) disse que o ex-senador Antônio Carlos Magalhães recomendou a toda a bancada de deputados que comanda na Bahia que votem contra a MP. "É um absurdo pôr o povo para pagar um erro do governo, e o senador ACM recomendou a sua bancada que vote a favor do povo brasileiro", disse Magalhães, que é sobrinho de Antônio Carlos. Circula entre os integrantes da bancada do PFL um editorial do jornal do Correio da Bahia, de propriedade do ex-senador, com críticas a Aleluia, em razão de seu parecer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.