PFL lança Pinotti para disputar prefeitura de São Paulo

O PFL de São Paulo decidiu ter candidato próprio nas eleições municipais da Capital e lançou oficialmente hoje o nome do deputado federal José Aristodemo Pinotti para a disputa. Com isso, fica praticamente descartada a possibilidade do partido se aliar aos tucanos no primeiro turno. "A minha candidatura é para valer e vou até o fim", garantiu Pinotti, após reunião no escritório do partido, na Capital. Ao falar da decisão do partido ter candidato próprio na Capital, o vice-presidente do PFL paulista e deputado federal, Gilberto Kassab, disse que a medida é necessária para a legenda se consolidar ainda mais em São Paulo. "Temos 104 prefeituras no Estado e pretendemos chegar a 130", informou. Sobre as conversas com o PSDB, Kassab destacou: "Deixamos o cargo de vice em aberto, mas acho que o PSDB também tem a disposição de sair com candidato próprio. Mas, sem dúvida, vamos nos encontrar no segundo turno e nos apoiarmos."De acordo com o vice-presidente do PFL paulista, a confirmação do nome do deputado Pinotti se dará na convenção do partido, a ser realizada no mês de junho. "Por hora, ele é nosso pré-candidato, mas minha opinião é de que ele será mesmo o candidato do PFL e, desde já, vamos construir sua candidatura, que pode oferecer um bom governo a São Paulo", reiterou Kassab. Estiveram na reunião de hoje o vice-governador de São Paulo, Cláudio Lembo, o secretário estadual de Justiça e Defesa da Cidadania, Alexandre de Moraes, o deputado federal Luiz Carlos Santos, o estadual Rodrigo Garcia, entre outras lideranças do partido.Um dos principais nomes do PFL em São Paulo, o senador Romeu Tuma, não compareceu ao encontro. O senador também pleiteia o cargo de cabeça de chapa do partido nessas eleições municipais. Apesar dessa divergência, Kassab disse que não há dissidências no partido e que o senador Tuma é ímpar na política e merece todo o respeito do PFL. "É um direito legítimo dele continuar manifestando sua disposição em sair candidato, mas eu confio muito sensibilidade do senador e acredito que ele saberá compreender a manifestação de todo o partido", considerou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.