PFL já vê Barbalho como única opção

Nem a cúpula do PFL acredita que terá outra opção na disputa pelo comando do Senado, além do presidente do PMDB, Jader Barbalho (PA). A bancada do PMDB só escolherá amanhã seu candidato à sucessão do presidente Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), mas o PFL já prepara a reunião da executiva nacional na quarta-feira, tendo em vista um cenário em que Jader sairia candidato único, ou teria só um adversário da oposição."A reunião será muito tranqüila, até porque toda a bancada sabe que essa briga do Jader com ACM é pessoal", previu o vice-líder do PMDB, Ramez Tebet (MS). ACM lançou hoje o livro ?Jader, o Brasil não Merece?, reunindo denúncias de corrupção contra o rival, mas sua esperança de mudar o jogo no PMDB está mais na articulação do bloco da oposição.Roberto Freire (PPS-PE) vai propor na quarta-feira ao bloco que esqueça a candidatura própria e procure PMDB e PSDB para tentar uma alternativa a Jader e que rompa o processo de "pancadaria e troca de dossiês". Mas os líderes do PT, Heloísa Helena (AL), e do PPS, Paulo Hartung (ES), insistem no lançamento de Jefferson Peres (PDT-AM), como forma de sair da disputa entre caciques. "Lançar Jefferson é manter esta situação em que o presidente e um grande líder vivem se engalfinhando, porque a candidatura da oposição não representa uma saída", contesta Freire. Para ele, Jader venceria e a briga com ACM continuaria.De fato, o PFL não está disposto a votar na oposição, apesar das ameaças de ACM. "Vamos discutir isso na executiva, mas é bom destacar que o PFL faz parte da base governista", avisou o presidente do partido, senador Jorge Bornhausen (SC).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.