PFL insiste em outro nome para derrotar PMDB

Constrangido em assumir uma aliança com a oposição no Senado, o PFL joga suas últimas fichas numa candidatura alternativa, dentro do PMDB ou PSDB, para derrotar o candidato peemedebista à Presidência da Casa, Jader Barbalho (PA). Os cardeais do PFL reúnem-se na terça na residência do vice-presidente Marco Maciel para analisar a situação. Sem um pacto com a oposição, a candidatura do pefelista Inocêncio Oliveira (PE) à presidência da Câmara perde chances. Neste fim de semana, os pefelistas estudaram nomes como Lúcio Alcântara (PSDB-CE) e José Fogaça (PMDB-RS), e ainda não descartaram a hipótese de o senador José Sarney (PMDB-AP) aceitar disputar com Jader, na última hora. O terceiro candidato no Senado para contrapor-se a Jader e ao senador Jefferson Peres (PDT-AM), lançado pelo bloco de oposição, pode sair de partidos menores, avisa o presidente da Casa, Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA). Para ele, a situação deverá estar definida até quinta-feira. "O Senado está confuso, mas poderá surgir uma terceira candidatura com chances de vitória, de forças que se unam para combater o candidato do PMDB, e ela poderá ser inclusive dos partidos menores", disse ACM. O presidente Fernando Henrique Cardoso reúne-se nesta segunda-feira à noite com os líderes governistas e dos partidos aliados no Congresso, além do secretário-geral da Presidência, Aloysio Nunes Ferreira, para avaliar os riscos de se colocar em votação as medidas provisórias, depois da aliança PFL-PT que derrotou o governo na semana passada. Inocêncio Oliveira já avisou que não vai comparecer à reunião, nem mandará representante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.