PFL expulsa um sanguessuga e inocenta outros 4

A executiva nacional do PFL decidiu, nesta terça-feira, 29, desfiliar o deputado Almir Moura (RJ) por conta de seu envolvimento no esquema dos sanguessugas. Além dele, os deputados Coriolano Sales (BA) e Marcos de Jesus (PE) preferiram pedir desfiliação a ser julgados pela executiva.O presidente nacional do PFL, Jorge Bornhausen (SC), disse que, em todos os casos em que havia provas suficientes para incriminar os envolvidos, a punição foi máxima, fosse por iniciativa do partido ou dos próprios acusados. "A CPI pode continuar sua investigação e encontrar novas provas. Mas, dentro do que foi examinado e estudado até aqui, não havia nada que nos permitisse incriminar os outros quatro pefelistas que tiveram seus nomes citados na CPI", esclareceu Bornhausen.No caso da deputada Laura Carneiro (RJ), por exemplo, a acusação era de que uma assessora de seu gabinete havia recebido depósito de R$ 20 mil em conta bancária pessoal. Laura compareceu à executiva com uma declaração oficial do Banco Central, mostrando que a assessora possuía contas correntes em apenas duas instituições bancárias (Banco do Brasil e Caixa Econômica) e que os extratos bancários comprovavam a inexistência de qualquer depósito.Além de Laura Carneiro, foram considerados inocentes Celcita Pinheiro (MT), César Bandeira (MA), Robério Nunes (BA). "O PFL teve a coragem de enfrentar o problema com correção, dentro do estatuto e dos prazos, aplicando pena máxima para os culpados e evitando injustiça com os inocentes", concluiu Bornhausen.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.