PFL exige demissão de ministros do PMDB

O PFL baiano não está disposto a recuar na sua posição contrária ao governo do presidente da República Fernando Henrique Cardoso após a crise que resultou na demissão do ministros da Previdência, Waldeck Ornélas, e do ministro das Minas e Energia, Rodolfo Tourinho. Hoje, o governador César Borges revelou que os pefelistas baianos estão unidos na luta pela demissão dos dois ministros do PMDB, Eliseu Padilha, dos Transportes, e Fernando Bezerra, da Integração Regional."Defendemos a realização de uma convenção nacional do PFL para decidir os destinos do partido e queremos que nossa legenda exija que o presidente Fernando Henrique demita Padilha e Bezerra diante das denúncias de irregularidades que envolvem suas pastas", declarou Borges, adiantando que se a direção nacional do partido não quiser seguir esse caminho, "o PFL baiano vai para o oposição". ForçaO grupo do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) quer dar uma demonstração de força no retorno de ACM à Bahia, sexta-feira. Uma grande recepção está sendo preparada para receber o cacique no Aeroporto Deputado Luiz Eduardo Magalhães. Prefeitos, vereadores, cabos eleitorais estão sendo mobilizados para invadir o aeroporto e prestar solidariedade a Magalhães na sua briga contra o presidente Fernando Henrique. Pelo menos cinco mil pessoas estão sendo esperadas na recepção."Vamos prestigiar a posição moralizadora do senador Antonio Carlos e queremos mostrar que o PFL tem uma grande oportunidade de se firmar perante a opinião pública, pelo combate à corrupção", comentou o governador Borges, assinalando que "se o PFL optar pelo fisiologismo não terá discurso para ir ao palanque em 2002, será engolido pelo PMDB e PSDB", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.