PFL entra com pedido de interrupção da propaganda do PT

O Diretório Nacional do Partido da Frente Liberal entrou ontem com representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a cassação total do tempo de propaganda do Partido dos Trabalhadores no rádio e na televisão no semestre seguinte à decisão da Corte. O relator da representação é o corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Barros Monteiro. O PFL alegou que, no último dia 22, o PT desvirtuou a finalidade da propaganda partidária no rádio e na televisão ao realizar em cadeia nacional ostensiva propaganda de governo, com ênfase à pessoa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Sua Excelência falou por exatos quatro minutos na primeira pessoa, trazendo para si, de forma personalíssima, as realizações do governo e desejos pessoais, sem informar qualquer vinculação com o Programa do Partido dos Trabalhadores ou seu ideário", observou na representação o delegado nacional do PFL, Admar Gonzaga Neto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.