PFL e PSDB têm de melhorar nos Estados por aliança, diz Bornhausen

Depois de uma hora de conversa com o pré-candidato do PSDB a presidente, Geraldo Alckmin, o presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), afirmou que "para a aliança (entre os dois partidos) avançar", eles têm de conseguir "melhores condições nos Estados".Participou do encontro também o presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE). Os três fizeram uma avaliação das dificuldades de composição entre os dois partidos nos Estados.Bornhausen disse que é preciso fazer um "esforço máximo" para compor a aliança entre pefelistas e tucanos em todo o Brasil, mas, onde isso não for possível, terá que ser definida uma regra de convivência entre os dois partidos."A indicação do candidato a vice (do PFL) na chapa de Alckmin é uma possibilidade concreta. "Eu acredito ser possível vencer as dificuldades nos Estados. A não indicação é inviável", afirmou Bornhausen. O senador Jereissati afirmou que as chances de coligação entre os dois partidos são de 99,9%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.