PFL diz que ainda vai manter pré-candidatura de Cesar Maia

O comando do PFL vai manter, pelo menos pelos próximos dias, a pré-candidatura do prefeito do Rio, Cesar Maia, ao cargo, mesmo depois da decisão de PSDB de lançar o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, candidato à presidência da República. O anúncio foi feito pelo prefeito e pelo presidente nacional do partido, senador Jorge Bornhausen (RS), após reunião no gabinete da prefeitura do Rio. Maia disse não ter certeza se o melhor para a oposição é ter apenas uma candidatura ou duas. Segundo ele, com um candidato apenas há o risco de se produzir "um segundo turno no primeiro", ou seja, de o presidente Lula ganhar a disputa no primeiro turno. "Estou confuso", disse o prefeito, explicando que raciocinara todo o tempo com as hipóteses da candidatura do prefeito José Serra à presidência e do fim da verticalização das alianças. O prefeito disse ainda que, se a aliança como PSDB for reeditada, terá de ser de um modo diferente do que ocorreu nos dois governos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Ele defendeu que haja, à semelhança do Chile, uma concertação e não apenas uma coligação, o que significaria mais espaço para o PFL.O PFL tem candidatos ao governo de nove Estados e quer sentar à mesa com os tucanos e apresentar algumas reivindicações. Até agora, apenas em Pernambuco os dois partidos estão coligados. Além do apoio para eleger o maior número de governadores e de deputados federais, o PFL quer influir no programa de governo do PSDB como condição para fechar a dobradinha com vistas à sucessão presidencial.(Colaborou Cida Fontes)

Agencia Estado,

16 de março de 2006 | 18h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.