PFL discute candidatura à presidência do Senado

O PFL iniciou por volta das 10 horas de hoje uma reunião de sua bancada no Senado para discutir a possibilidade de lançar um candidato próprio à presidência daquela casa do Congresso. Na avaliação de senadores pefelistas, o apoio obtido ontem à noite pelo senador Ramez Tebet (MS) dentro de sua própria bancada - apenas 12 votos de um total de 25 senadores do PMDB - para se candidatar ao comando do Senado deixou Tebet fragilizado para uma disputa no plenário. O senador sul-matogrossense, não conseguiu sequer a maioria dentro do próprio PMDB, que ficou rachado entre ele e os senadores José Fogaça (RS), que obteve seis votos, e José Alencar, que só obteve um.O próprio Tebet, entretanto, que desde as 8 horas está em seu gabinete telefonando para colegas em busca de votos, considera satisfatório o resultado da reunião de ontem da bancada do PMDB. Embora o bloco de oposição tenha decidido hoje de manhã votar contra a indicação de Tebet, o candidato do PMDB está na expectativa de obter votos entre os oposicionistas, cuja bancada é de 16 senadores, entre representantes do PT, PSB, PPS e PDT. O líder do bloco de oposição, senador José Eduardo Dutra (PT-SE), disse que os oposicionistas consideram a candidatura de Tebet uma interferência direta do Palácio do Planalto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.