PFL critica aumento do IOF

O líder do PFL na Câmara, Inocêncio Oliveira (PE), qualificou, nesta terça-feira à tarde, de "infeliz", o anúncio feito nesta terça pelo ministro da Fazenda, Pedro Malan, de que haverá aumento da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para compensar as perdas de arrecadação causadas pela demora na aprovação da proposta de emenda que prorroga a vigência da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).Malan não poderia antecipar-se ao que ainda não aconteceu, disse Inocêncio, referindo-se ao fato de que a proposta não passou por nenhuma instância do Poder Legislativo e, portanto, ainda não é possível quantificar a perda que o governo está tendo com a falta de arrecadação da CPMF.O líder do PFL considera que seu partido não teve nenhuma culpa pela demora na aprovação da proposta de emenda e que o Congresso também não pode ser responsabilizado, porque se trata de proposta polêmica que não pode ser votada da noite para o dia.Inocêncio Oliveira disse ainda que o Poder Executivo deve dividir com o Congresso a responsabilidade pela demora, porque editou uma série excessiva de medidas provisórias que agora estão trancando a pauta e, no entender de Inocêncio, não tratam de assuntos tão urgentes que não pudessem ser resolvidos por meio de projetos de lei.O líder do PFL disse que o seu partido sempre foi contra aumento de impostos e que a atitude de Malan é própria de quem quer resolver as coisas considerando que é o único a entender do assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.