PFL cobra mais rigor na investigação do "grampo"

O PFL cobrou nesta quarta-feira uma investigação mais rigorosa do grampo telefônico encontrado na residência do candidato a presidente da Câmara Inocêncio Oliveira (PFL-PE), na semana passada.Numa demonstração de que desconfia do governo no episódio de escuta ilegal, o PFL reuniu a executiva nacional para redigir um ofício endereçado ao ministro da Justiça, José Gregori, cobrando rapidez.No documento, o PFL, que tem trânsito livre em todos os ministérios da Esplanada, pede urgência na apuração "rigorosa dos fatos" e ainda a instauração de "processo penal" para investigar a origem dos grampos telefônico e ambiental encontrados na casa do líder do partido.Gregori recebeu com estranheza a investida do PFL sobre a pasta. O ministério informou que tudo está sendo feito de forma rápida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.