PFL ataca governo Lula com animação na internet

A página do PFL na internet tornou-se um centro de ataques cerrados ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva. No centro da página há uma janela que, de forma ilustrada e animada, resume o parecer do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, que qualificou de "quadrilha" e "bando" os suspeitos de participar do mensalão, tendo indiciado 40 pessoas. O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu foi chamado de "chefe da quadrilha" pelo procurador.O título é "Lula-lá e os 40 ladrões". Em menos de cinco segundos para cada um, os principais envolvidos no escândalo são mostrados em trajes que lembram os personagens árabes de "Ali Babá e os 40 ladrões". O primeiro a aparecer é José Dirceu, logo chamado de "chefe da quadrilha". Em seguida, vem o ex-presidente do PT José Genoino, o ex-tesoureiro Delúbio Soares, o ex-secretário-geral Silvio Pereira e o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. Este, com Delúbio, é tido como mentor do mensalão e do caixa 2 do PT. Na mesma seqüência, são apresentados "Os100 maiores escândalos do governo Lula". Começa com o mensalão, "mesada paga pelo PT a parlamentares e partidos em troca de apoio ao governo Lula, ou seja, compra e venda de consciências. Envolve caciques do PT, PP, PMDB e PL". Depois, vem a afirmativa de que o presidente Lula sabia de tudo e a corrupção nos Correios, "flagrante de cobrança de propina para beneficiar empresas em processos de licitação".Em quarto lugar o PFL enumerou o episódio em que José Adalberto, assessor do deputado estadual do Ceará José Guimarães (irmão de José Genoino), foi preso em São Paulo com R$ 200 mil e U$ 100 mil escondidos na cueca. Em quinto aparece a denúncia de corrupção no Instituto de Resseguros do Brasil (IRB); em sexto, a cassação do ex-ministro José Dirceu. As críticas do PFL passam ainda pela suposta cobrança de propina nas prefeituras administradas pelo PT, o assassinato do prefeito Celso Daniel, de Santo André e o escândalo que envolveu o ex-assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz."Desrespeitosa"O líder do PT na Câmara, deputado Henrique Fontana (RS), qualificou a abordagem da crise feita pela página do PFL na internet como "desrespeitosa". Para ele, esses ataques não têm funcionado. "O candidato da chapa tucana/PFL só tem perdido votos na opinião pública". "Tenho a impressão de que na Executiva do PFL essa página faz um grande sucesso, mas lá todo mundo vai votar no Alckmin. O eleitor consciente não aceita esses ataques", disse Fontana."Eles (os oposicionistas) passam todo o tempo tentando convencer a opinião pública de que o governo do PT é o mais corrupto da História, mas não conseguem nada com essa generalização". Fontana disse ainda que a intensidade dos ataques é tão forte que dá a impressão de que tudo é feito "num palanque dirigido aos amigos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.