PFL acusa PT de uso de caixa dois

O PFL suspeita que o PT teria usado recursos de "caixa dois" em troca do apoio eleitoral do PTB. Diante disso, o comando nacional do PFL apresentou hoje denúncia ao corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Francisco Peçanha Martins, pedindo providências face à suposta negociação de R$ 10 milhões envolvendo PT e PTB, segundo reportagem da revista Veja. O advogado do PFL, Admar Gonzaga, fundamenta a denúncia dizendo que os recursos do Fundo Partidário - composto por dinheiro do Orçamento e doações - tem a sua aplicação limitada e não prevê a possibilidade de doações de valores, em espécie, a parlamentares de outros partidos, conforme publicou a revista. O tesoureiro e diretor-geral do PFL, Saulo Queiróz, desconfia que os recursos, como não podem ser oriundos do fundo partidário, só podem ter saído de "caixa dois". "Isso é financiamento por fora e só pode ser feito por caixa dois, o que desvirtua todo o processo eleitoral e é utilizado para fazer este tipo de barganha política", disse. Em sua denúncia, Admar Gonzaga pede providências e que o corregedor-geral determine a remessa de cópia dos autos ao Ministério Público para garantir a lisura do processo eleitoral. "A simples denúncia de oferecimento de cargos públicos em troca de apoio político e, pior, a retirada de candidaturas, representa prática abusiva, contra a qual a legislação possui comando legal de controle e punição, que pode culminar na cassação de registro de candidato", afirma a denúncia encaminhada à Justiça Eleitoral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.