PFL acusa Alckmin de criar dificuldade para candidatura Serra

O vice-presidente nacional do PFL e líder da minoria no Senado, José Jorge (PE), criticou nesta quinta-feira não só a demora do PSDB em definir o candidato a presidente, como a postura do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), na briga tucana com o prefeito da capital paulista, José Serra (PSDB). "A coisa está caminhando muito mal", avaliou Jorge, ao cobrar pressa na definição do candidato do partido, que deverá compor chapa com o PFL no posto de vice-presidente. "Como está em fim de mandato, Alckmin está usando as armas de que dispõe e criando muita dificuldade para a candidatura do Serra", analisou. Setores da legenda simpáticos à candidatura Serra avaliam, nos bastidores, que não há mais condições políticas de ele abandonar o cargo para assumir uma candidatura presidencial. Da mesma forma, serristas do PSDB declaram-se surpresos com o "jogo pesado" do governador de São Paulo, que, no entender de alguns tucanos, tem criado fatos políticos com o objetivo claro de constranger Serra e forçá-lo a se manter no posto. Citam a declaração pública de "apoio obrigatório", que Alckmin recebeu da bancada estadual, e a defesa do nome dele feita pela ex-primeira-dama do Estado Lila Covas. Diante deste cenário, dirigentes pefelistas acreditam que a cúpula do PSDB não tem mais como tirar a candidatura de Alckmin e que o melhor é apressar a definição para logo depois do carnaval. À medida em que Alckmin avança, setores do PSDB começam a trabalhar a hipótese do desembarque de Serra da corrida sucessória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.