Pfizer amplia ação contra a aids na África

No Dia Mundial de Luta contra a Aids, a gigante farmacêutica Pfizer anunciou um reforço em dose dupla no combate à disseminação do HIV em países subdesenvolvidos. A primeira dose se refere à ampliação de programas de acesso a medicamentos e prevenção da síndrome na África. A segunda corresponde à distribuição de US$ 1,8 milhão, em auxílio às organizações que atuam no combate à síndrome em países com altos índices de disseminação do HIV.Por meio do Programa de Parceria Diflucan, a Pfizer comprometeu-se, em acordo com o Ministério da Saúde da África do Sul, a ampliar distribuição gratuita do medicamento a 12 países daquele continente, onde são registrados os maiores índices de incidência de aids.Em seu segundo de operação, o programa beneficia portadores do vírus HIV que não têm condições de comprar o Diflucan, utilizado no tratamento de meningite criptococal e candidíase esofageal, infecções oportunistas que podem levar o paciente soropositivo à morte.Fora da África, o programa atende também a população haitiana e já foi responsável, desde o lançamento, pela distribuição de 1,5 milhão de doses de Diflucan. No mesmo período, o laboratório processou mais de 50 mil prescrições médicas e treinou 10 mil profissionais em 317 hospitais.O grupo farmacêutico anunciou ainda o lançamento de um novo programa de educação e conscientização do funcionário em HIV/aids. Com o objetivo de elevar os conhecimentos de profissionais da saúde sobre a doença, o programa revelará estatísticas sobre a disseminação do vírus nos Estados Unidos e no mundo.A Pfizer Foundation, por sua vez, anunciou a entrega de prêmio de US$ 1,8 milhão para 12 organizações de combate à aids, por meio do Programa Internacional de Concessões de Alfabetização em Saúde sobre HIV/aids. As organizações que receberão o prêmio atuam na alfabetização em saúde, em países com altos índices de disseminação da doença.Além de distribuir prêmios, a fundação apóia os Doutores do Mundo no desenvolvimento de materiais educativos que são distribuídos com o filme Pandêmica: Enfretando a aids. O documentário, produzido por Rory Kennedy, conta a história de pacientes soropositivos que residem no Brasil, Índia, Rússia, Tailândia e Uganda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.