PF volta ao trabalho até segunda, diz ministro

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, acredita que até segunda-feira o trabalho da Polícia Federal estará normalizado. Os policiais federais estão em greve há dez dias, e ontem decidiram suspender a operação padrão nos aeroportos, o que provocava grandes filas nos embarques e desembarques dos vôos internacionais. O motivo da suspensão da operação foi a reabertura das negociações com o Ministério da Justiça. Para o ministro, isso já indica um bom caminho para um rápido entendimento."Nós temos um grande apreço pela Polícia Federal. Ela, durante este governo, subiu no seu patamar, fez operações brilhantes, grandes operações. De modo que o nosso interesse é manter uma boa relação e melhorar cada vez mais o padrão de trabalho da Polícia Federal", disse o ministro, em entrevista ao programa Bom Dia Brasil, da TV Globo. Na opinião do ministro a greve dos policiais federais não prejudicou as investigações do caso Waldomiro Diniz, ex-assessor da Presidência da República. "Eu acho que a Polícia Federal e O Ministério Público estão fazendo a investigação de forma necessária e satisfatória". Ao ser questionado sobre outros movimentos grevistas no funcionalismo público federal, o ministro disse que a greve não é um delito. É um direito. "É preciso regulamentar ainda a greve dos servidores públicos, mas ela existe, é um fato. O governo está negociando cada caso, dentro de sua possibilidade orçamentária", afirmou o ministro, que acredita em uma solução para cada um desses casos. Com relação à reforma do Judiciário, o ministro disse que é a favor do controle externo do Poder, desde 1997. Para ele, a criação do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público representa um grande avanço.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.