PF vai ouvir empresário sobre dossiê Cayman

A Polícia Federal vai ouvir amanhã em Miami, nos Estados Unidos, o depoimento do empresário Oscar de Barros sobre a confecção e venda do chamado Dossiê Cayman, um conjunto de documentos falsos onde consta a abertura de uma conta corrente em nome de políticos do PSDB, inclusive do presidente Fernando Henrique Cardoso. Os delegados Paulo de Tarso Teixeira e Jorge Pontes, além de ouvir Barros, manterão contatos com a Interpol americana e a polícia federal dos Estados Unidos, o FBI, que deverá auxiliar nas investigações.Barros será ouvido em seu apartamento, em Miami, onde cumpre prisão domiciliar. Ele foi condenado por lavagem de dinheiro e narcotráficoe aguarda o pronunciamento da sentença. O Ministério da Justiça ainda não definiu o horário do depoimento. O objetivo da PF é, com a ajuda do FBI e do Departamento de Estado dos EUA, tentar prender no Brasil todas as pessoas responsáveis pelo dossiê. Oscar de Barros revelou que o dossiê foi feito por uma "turminha de Miami", sem citar os nomes dos envolvidos, com o objetivo de prejudicar a reeleição de FHC em 1998. O empresário tem dito que está disposto a contar os detalhes à polícia brasileira. O presidente Fernando Henrique quer processar os envolvidos por estelionato, formação de quadrilha e falsidade ideológica, entre outros crimes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.