PF vai investigar relação de Rossi com lobista e propina na Agricultura

Ex-presidente da Comissão de Licitação do ministério Israel Batista já prestou depoimento como testemunha

Felipe Recondo, de O Estado de S.Paulo,

17 de agosto de 2011 | 16h28

A relação do ministro da Agricultura, Wagner Rossi, com o lobista Júlio Fróes será investigada pela Polícia Federal. Um inquérito foi aberto na segunda-feira, 15, e o ex-presidente da Comissão de Licitação do ministério Israel Batista já prestou depoimento.

 

Batista foi ouvido na condição de testemunha e reafirmou as acusações de que Fróes freqüentava o ministério, entrava pela portaria privativa usada pelo ministro e lhe ofereceu propina no valor de R$ 5 mil.

 

No depoimento, Batista relatou que Júlio Fróes disse que a propina “era uma ajudinha referente ao auxílio prestado durante a execução do termo de referência” de um dos contratos firmados pelo Ministério com a Fundasp, entidade mantenedora da PUC.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.