PF vai intervir no Vale do Ribeira para evitar conflito agrário

A Polícia Federal vai intervir, junto com as autoridades de São Paulo, na região de Ribeirão Branco, no Vale do Ribeira, diante das ameaças de conflito entre fazendeiros e trabalhadores rurais do local.Nesta quinta-feira, o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Luiz Marinho, esteve com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, para pedir garantias de vida para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais da região, José Vicente Felizardo da Silva, que foi ameaçado de morte e teve familiares agredidos por supostos pistoleiros.Segundo Marinho, pelo menos três fazendeiros são suspeitos de exploração do trabalho escravo e infantil, além de danificar o meio ambiente. ?Temos informações do uso indiscriminados de agrotóxicos?, afirmou Felizardo da Silva. ?O ministro garantiu que vai usar a PF, principalmente no trabalho de inteligência, mas precisamos que todos os órgãos públicos se unam para diminuir a expectativa de violência em Ribeirão Branco?,acrescentou Marinho.A possibilidade de um conflito começou depois da prisão de três fazendeiros da região, após uma blitz do Ministério do Trabalho. Dois foram libertados mediante fiança, mas um passou quase um mês preso. ?Este fazendeiro, depois que saiu da cadeia, foi à minha casa e espancou minha mulher e minha sogra?, disse Felizardo. ?Em seguida foi ao sindicato fazer ameaças, afirmando que, as autoridades ele comprava com dinheiro, e com sindicalistas era à bala.?Thomaz Bastos prometeu reunir-se na próxima semana com as autoridades estaduais para estudar uma forma de realizar uma operação policial, já que existe a suspeita de outros tipos de crime na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.