PF suspende desocupação na Raposa Serra do Sol até segunda

Informação foi divulgada após reunião entre policiais e representantes dos arrozeiros que têm plantações

Agência Brasil

09 de abril de 2008 | 14h41

A operação de retirada de não-índios da terra indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, terá uma trégua até segunda-feira  informou nesta quarta-feira, 9, o superintendente da Polícia Federal (PF) em Roraima, José Maria Fonseca. A informação foi divulgada após uma reunião entre policiais federais e representantes dos arrozeiros que têm plantações na área.  Veja também: Galeria de fotos da Raposa Serra do Sol Assista à entrevista de Roldão Arruda, enviado especial à região  ENQUETE: Os produtores rurais devem ser retirados da reserva indígena?  Saiba onde fica a reserva e entenda o conflito na região   "Eles pediram um prazo até segunda-feira, quando voltaremos a sentar para definir como será a desocupação", afirmou o superintendente, reiterando que o acordo com os arrozeiros será respeitado. "Até segunda-feira não tem surpresa e não há enganação." A terra indígena Raposa Serra do Sol foi homologada há três anos e no dia 27 de março começou a Operação Upakaton 3, da PF, para retirar da área pequenos proprietários rurais, alguns comerciantes e um grupo de grandes produtores de arroz, que resistem à desocupação. Nos últimos dias arrozeiros e índios contrários à retirada fizeram várias manifestações, entre elas queimaram pontes e interromperam estradas.

Tudo o que sabemos sobre:
Raposa Serra do Sol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.