PF recebe documentos de Renan e inicia perícia hoje

Equipe de oito peritos do Instituto Nacional de Criminalística (INC), da Polícia Federal, começa hoje, após um mês de manobras protelatórias, a analisar os documentos de defesa apresentados pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O laudo, a ser entregue em 20 dias, é decisivo para o julgamento do processo a que Renan responde no Conselho de Ética por quebra de decoro. Acusado de ter despesas pessoais pagas por um lobista da Empreiteira Mendes Júnior, ele apresentou papéis sobre a origem dos recursos com os quais custearia a pensão para jornalista Mônica Veloso, com quem tem uma filha.Os documentos, entregues em três pastas lacradas, foram repassados pelo Senado ao ministro da Justiça, Tarso Genro, que ontem mesmo os entregou à PF. Hoje, os peritos conferem se estão completos e começam a perícia. Renan assegura que, ao fim da análise, sua inocência será comprovada.Laudo parcial produzido pela PF em junho, porém, considerou recibos, notas fiscais e guias de transporte de animais insuficientes para comprovar as operações com que o senador alega ter faturado R$ 1,9 milhão com a venda de gado em quatro anos. Entre as mais de 20 inconsistências, o relatório da PF apontou incompatibilidade entre datas das operações de venda de gado com os cheques de pagamento e os recibos. Notou também que vários recibos eram frios, além de outros sinais de maquiagem contábil. Mas como a perícia foi realizada apenas num fim de semana, o laudo foi inconcluso e a PF pediu mais tempo, além de documentação mais completa. O laudo final deverá responder a 30 questões relacionadas à autenticidade dos documentos e à legalidade das operações. Pelos termos do requerimento, a investigação será restrita aos quesitos definidos pelo Conselho de Ética. Assim, a PF não poderá fazer diligências ou realizar qualquer investigação complementar, mesmo que necessária, pois dependeria de autorização do Supremo Tribunal Federal. A nova perícia terá reforço de especialistas em documentoscopia e contabilidade. Deverá ser solicitado auxílio de técnicos da Receita Federal e do Banco Central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.