PF quer quebrar sigilos no caso Beira-Mar

A Polícia Federal vai pedir a quebra de sigilo bancário de mais de 200 contas de pessoas suspeitas de envolvimento na rede montada pelo traficante Luiz Fernando da Costa, Fernandinho Beira-Mar. Além disso, a PF solicitará ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), do Ministério da Fazenda, para rastrear as contas da quadrilha do traficante no exterior, investigação que poderá atingir dezenas de países. A PF deve pedir a quebra de sigilo telefônico de mais de 100 linhas.A relação de contas bancárias e de telefones já está em poder da área de inteligência da PF, que recebeu muita documentação do Exército e da polícia federal da Colômbia, além de autoridades paraguaias. Foram apreendidos agendas, relatórios manuscritos e anotações em cadernos do grupo de Beira-Mar. O Exército colombiano entregou à PF 270 páginas manuscritas com a contabilidade do bando.A PF abriu inquérito para investigar o envolvimento de Beira-Mar com os crimes de lavagem de dinheiro, contrabando de armas e associação criminosa internacional. O chefe da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE), Getúlio Bezerra, acredita que a investigação sobre a "rede" de Beira-Mar exigirá a abertura de "dezenas" de novos inquéritos. Segundo Bezerra, todo o levantamento sobre as ações criminosas do traficante pode levar até 5 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.